A história das Marias- Culinária

27 anos de sabor

 

Tudo começou quando Maria Emília, a segunda das sete irmãs, em 1972 abriu um pequeno hotel em Penedo, colônia finlandesa localizada no interior do Rio de Janeiro. Para organizar a estocagem de alimentos — evitando, assim, perda de tempo em compras —, após pesquisar sobre congelamento ela percebeu que esta técnica resolveria os problemas do Hotel Daniela. Entusiasmada com o resultado, decidiu abrir o curso no Rio de Janeiro, convidando outra Maria — esta, Theresa — amiga da família. Pouco tempo depois, com o sucesso da iniciativa no Rio, as outras irmãs resolveram difundir o curso nas cidades onde moravam: São Paulo, Brasília e Belo Horizonte. Depois, a elas reuniu-se uma cunhada, Maria Evangelina.
O Curso foi assim batizado — As Marias — por sugestão do jornalista José Maria Homem de Montes, então diretor do jornal O Estado de São Paulo. O nome pegou e, em curto espaço de tempo, a programação foi muito além do congelamento. Surgiram os cursos de culinária variada, de noções básicas de administração doméstica, de etiqueta e trivial do cardápio cotidiano, de microondas e o curso de pratos especiais para ocasiões festivas, O assunto suscitou interesse e, após a publicação de uma matéria sobre “As Marias” num grande jornal carioca, a procura foi surpreendente. As professoras tiveram de alugar, rapidamente, uma sala maior e mais equipada, em Copacabana.
E assim, desde 1980, já passaram pelas Marias, mais de 150.000 alunos.
Com o falecimento da Maria Emília houve a necessidade do curso ser vendido com Agosto de 2007. Com isso Maria Tereza Martins convidou Maria da Conceição Oliveira para unirem-se na nova sociedade, “As Marias”. A coincidência foi grande, pois também se chamam “Marias”. Agora dando continuidade a esse grande trabalho feito pelas antigas “Marias”, mantendo os cursos já existentes, criando outros, modernizando e dinamizando mais as aulas para que os alunos tenham cada vez mais opções. “As Marias” dão as boas vindas aos novos alunos.